quarta-feira, 27 de novembro de 2013

BIODIVERSIDADE EM VILA REAL PROGRAMA

Programa do evento "O Valor dos Simples: a Natureza à Mesa"

Sábado, 30 de Novembro

Local: Teatro de Vila Real

MANHÃ
09H00 - Receção dos participantes
09H30 – Breve introdução ao encontro. Apresentação da mesa.
10H00 – Filme temático [UTAD]
10H15 –A natureza inspira-nos! Das subtilezas do campo à criatividade na cozinha
[Graça Soares | Ervas Finas, Vila Real]
10H30 – Plantas Bravias Comestíveis e Fruteiras Silvestres
[José Alves Ribeiro [UTAD]
10H45 – As variedades regionais portuguesas, que urge manter ou recuperar
[José Miguel Fonseca] Associação Colher para semear, Figueiró dos Vinhos]
11H00 – Coffee break
11H30 – A Valorização dos Alimentos - da produção ao consumo. Novas filosofias, novos movimentos. [Artur
Cristóvão, CETRAD, Vila Real]
11H45 – A importância da utilização da Biodiversidade com interesse alimentar na gastronomia. Efeitos diretos
e indiretos da sua valorização na economia local.
[António Monteiro, CEGTAD – Confraria dos Enólogos e Gastrónomos de Trás-os-Montes, Mirandela]
12H00 – A importância da utilização da Biodiversidade na gastronomia. Efeitos diretos e indiretos do seu
consumo na saúde das populações. [Ana Sousa, Nutricionista, Vila Real]
12H15 - Debate
12H30 – Almoço temático (Restaurante Panorâmico da UTAD)

TARDE
14H30 – Síntese da manhã. Apresentação do novo painel de comunicações
14H45 – Educar para a mesa: da horta à mesa | do recreio à cantina – Um caso Prático de Pedagogia [Luisa
Queirós, Educadora de Infância, Agrupamento de Escolas D. Dinis, Vila Real]
15H00 – Ecologia, botânica, arte e culinária – A educação como ponto de partida para a valorização.
[Fernanda Botelho, Escritora, Sintra]
15H15 – A valorização da base. A importância económica e social das hortas [Isabel Mourão, ESA/ IPVC;
CIMO]
15H30 – Debate
16H00 – Coffee break
16H30 – O restaurante do futuro. Da valorização das matérias-primas ao enriquecimento dos Menus. [José
Mendes, IDTUR, Aveiro]
16H45 - O valor que se acrescenta com novas ideias – O caso das Urtigas
[Manuel Paraíso, Confraria das Urtigas, Fornos de Algodres]
17H00 – Da Natureza à Mesa – Um desafio para uma Escola cujo lema é “Fazer coisas simples,
extraordinariamente bem!”
[Paulo Vaz | Escola de Hotelaria e Turismo do Douro | Lamego | Turismo de Portugal]
17H30 – Tertúlia
[Fernando Melo, Crítico Gastronómico]
18H30 – Notas Finais. Perspetivas para o futuro. Agradecimentos.
Convite para o Jantar “ Natureza, Arte & Gastronomia”
20H30 – Jantar “ Natureza, Arte & Gastronomia” – Restaurante Panorâmico da UTAD
Grupo Musical
Prosa e Poesia de apresentação livre – (um convite aos N/ talentosos convidados)
Poesia – Miguel Torga

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Luz dourada de outono

É tarde no bosque
tudo é briza, silêncio
e fios de luz que se demoram nas folhas









 Luz lilás aquecendo as urzes,
um sopro de sol deslizando no silêncio do bosque.

 Tarde lenta de árvores gigantes rasgando o azul
  pontes firmes entre o céu e a terra


Cozinhar com pica: três receitas de urtigas - Life&Style

Cozinhar com pica: três receitas de urtigas - Life&Style

Se quiserem saber mais de urtigas podem ainda encontrar outras receitas na minha agenda de 2014



 

RISOTTO DE URTIGAS

INGREDIENTES
4 colheres de sopa de Azeite
3 Cebolinhos picados
2 dentes de Alho picados
4 chávenas de Arroz
1/5 chávena de Vinho branco seco
6 a 7 chávenas de caldo de vegetais
2 chávenas de urtigas cozidas e picadas (correspondendo a cerca de 10 chávenas de urtigas cruas)
1/3 chávena de queijo Parmesão ralado
Sal qb
Pimenta qb
Raspa de 1 limão biológico
1 colher de chá de mistura de Ervas de Provença

Aquecer o azeite num tacho grande, adicionar o alho e o cebolinho e saltear durante 3 a 4 minutos, até estes amaciarem um pouco. Juntar o arroz e mexer durante mais um minuto, até o arroz estar bem envolvido no azeite.
Adicionar o vinho branco e deixar ferver; depois, baixar o lume e continuar a mexer até o vinho ter sido absorvido. Adicionar então uma chávena de caldo de vegetais e mexer frequentemente até este ter sido também absorvido. Repetir o processo com mais umas 5 chávenas de caldo, até o arroz ficar macio e cremoso, não seco. Reduzir o lume para o mínimo e adicionar então as urtigas, mexendo bem para as distribuir uniformemente.
Adicionar o queijo parmesão e um pouco mais de caldo, se o arroz parecer seco. Cozer durante mais uns 3 minutos até o queijo estar derretido. Adicionar o sal, pimenta, ervas e casca de limão ralada fina.
Servir de imediato.







quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Vila Real Gastronómica


VILA REAL ASSUME-SE COMO O DESTINO DOS SABORES DA BIODIVERSIDADE

Primeiro evento gastronómico da biodiversidade decorre no final de novembro

Dando corpo a uma estratégia que pretende fomentar novos nichos de mercado e estimular diversos agentes económicos locais para as potencialidades da biodiversidade, a Câmara Municipal de Vila Real vai organizar, nos dias 30 de novembro e 1 de dezembro, o primeiro encontro gastronómico intitulado por “O valor dos simples: a Natureza à mesa”.
Este projeto insere-se num dos vetores estratégicos do programa, que pretende valorizar economicamente a biodiversidade, procurando gerar novos negócios e fomentar a economia do meio rural. Mas o projeto ambiciona ainda mais: a criação de uma rede local de agentes económicos de vários setores, que passam a trabalhar em conjunto e de forma organizada, procurando desenvolver novos conhecimentos e novas práticas.
Procurando conciliar o vasto conhecimento atual e muitos dos saberes ancestrais, pretende-se manter uma linha permanente de experimentação e inovação gastronómica, com a utilização de um vasto património vegetal presente no território, que permite uma diversificação de sabores à mesa. Neste domínio, estão a decorrer diversos workshops com os profissionais da restauração locais, que vão permitir a criação de novos pratos e a recriação de alguns dos símbolos da gastronomia duriense e transmontana. Associado a este objetivo, o projeto pretende também alertar para as inúmeras vantagens da diversificação e o seu valor nutricional. Assim, diversidade e biodiversidade são um novo conceito na alimentação humana que podem contribuir decisivamente para a melhoria da saúde pública. De destacar a preocupação na utilização de plantas silvestres que perderam espaço nas últimas décadas e que podem voltar a ter uma utilização corrente na nossa alimentação.
O evento que terá no lugar nos dias 30 de novembro e 1 de dezembro servirá sobretudo para dar a conhecer ao público em geral a panóplia de recursos e o valor destas plantas. No primeiro dia do evento estarão reunidas diversas personalidades e especialistas das mais diversas áreas, desde a Biologia à Gastronomia, que vão facultar toda a informação essencial na abordagem desta temática. No segundo dia do evento, os protagonistas serão os restaurantes aderentes e será dedicado à criação dos chefes de cozinha dos restaurantes, com a utilização das plantas na criação de novas ofertas gastronómicas. Uma oportunidade única para partilhar novos sabores e novas sensações à mesa dos ex-líbris da restauração de Vila Real, o destino da biodiversidade.

É dificil mas não impossível, fazer escolhas conscientes enquanto consumidores, nós temos o poder de derrubar as multinacionais que todos os dias se riem na nossa cara e nos metem a mão no bolso


terça-feira, 5 de novembro de 2013

O JARDIM ASSOMBRADO: A COLECCIONADORA DE ERVAS

O JARDIM ASSOMBRADO: A COLECCIONADORA DE ERVAS: A alfarroba é uma fonte importante de pectina e cálcio. Os frutos do morangueiro são ricos em vitaminas e sais minerais. A urti...