quarta-feira, 27 de maio de 2015

Para os amantes de plantas-Futuros eventos herbalisticos

As datas dos próximos passeios e workshops.


 Sintra sexta-feira  28 às 18,30 no encontro Alternativas (gratuito, divertido e informativo)
.http://encontroalternativas.blogspot.pt/

 Lisboa sábado 30 de junho  Feira do Príncipe Real banca com os meus livros e outros relacionados com plantas (plantas do meu quintal para oferecer).

Monchique domingo 31 passeio na Fóia organizado pela associação a nossa TERRA
 https://www.facebook.com/anossaterra/photos/gm.1434679213508991/965798923444920/?type=1&theater

Lagos domingo 31 á noite.https://www.facebook.com/events/474785206012649/

Alcobaça 5 de junho https://www.facebook.com/sofia.quaresma.52?fref=ts

Leiria 6 de junho


Fundão 7 de junho

Lisboa 10 de junho Feira do livro

Mata do Bussaco 13 de junho

Aveiro 14 de junho Quinta Ecológica da Moita


terça-feira, 26 de maio de 2015

Agora Nós

Agora Nós

Aqui fica o link para saberem mais sobre plantas que tratam  problemas de pele nos bebés. Aminha intervenção é ao minute 14,45.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Plantas para tratar problemas de pele em bebés e crianças amanhã na RTP 1 no programa "Agora Nós"

malva, a rainha das plantas para tratar problemas de pele.

A pele para além de ser o maior órgão do nosso corpo é a nossa primeira linha de defesa contra danos causados por ataques externos como infeções, vírus, bactérias, poluentes químicos do ar, da água, dos detergentes, diferenças de temperatura. Ela segrega substâncias antisséticas que são uma defesa natural contra estes invasores.
Daí a grande importância de prestar muita atenção à pele dos bebés e crianças não usando excesso de sabonetes, champôs, cremes, desodorizantes, perfumes etc. Produtos estes, que mesmo sendo de boa qualidade impedem a pele do bebé de fabricar a sua própria gordura.
As reações a todos estes agentes externos variam muito de criança para criança pois todos eles têm tipos de pele diferentes.

A pele é também a nossa barreira e o nosso ponto de contacto entre o mundo interior e o mundo exterior e portanto sempre que existam problemas entre esses dois mundos, isto se possa manifestar na pele através de vários tipos de eczemas. Aqui mais uma vez as plantas poderão ser de grande utilidade em uso interno e externo: Malvas, calêndula, aveia, camomila e alfazema.
Outros problemas comuns e que afligem muitas mamãs é a crosta láctea que  se manifesta na cabeça dos bebés e que tende sempre a desaparecer naturalmente e é mais comum em bebés de pele oleosa. Nestes casos é mesmo de evitar as lavagens frequentes com champô e usar infusões de calêndula ou malvas ou amores-perfeitos. Pode também usar óleo de coco ou azeite para amolecer a crosta e nunca a arrancar, deixar que ela amoleça e caia por si.
Muito comum também é o eritema das fraldas que se pode tratar lavando com infusão de malvas, calêndula, camomila, morugem, alfazema, deixando o rabinho ao léu nas mudanças de fraldas, secar muito bem e evitar o uso de pó-de-talco, usando em vez disso maizena que não tem tanta tendência a empastar, pasta esta que será depois um meio fácil para o desenvolvimento de bactérias. Aplicar óleo de coco pelas suas propriedades antifungicas e anti bacterianas ou pomadas das plantas referidas.

sabugueiro
 Quando se começam a introduzir os primeiros alimentos sólidos ou quando se dão algumas vacinas, os bebés fazem muitas vezes reações alérgicas que mais uma vez se manifestam através da pele com erupções cutâneas de vários tipos. Para aliviar esta borbulhagem coloque na água do banho flocos de aveia, camomila, pétalas de rosa, tília, alfazema ou calêndula. Estas plantas podem ser colocadas dentro de uma meia ou de um tecido de algodão atado com uma fita.
calêndula

milefólio

amor-perfeito

alfazema
 A pele é também um órgão de excreção por excelência e por isso mesmo as plantas têm aqui um grande papel ao estimularem a sudação ajudando toxinas a serem libertadas em casos de gripes, febres, etc. São as chamadas plantas diaforéticas: Camomila, tília, milefólio ou sabugueiro, estas plantas podem ser usadas na água do banho.

camomila

Pensar Eco, é lógico!: Por que e onde descartar óleo de cozinha usado, se...

Pensar Eco, é lógico!: Por que e onde descartar óleo de cozinha usado, se...: O óleo de cozinha já utilizado contamina milhares de litros de água se descartado de maneira incorreta. Porém, a partir do descarte corre...

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Confraria das Urtigas na RTP.

 Aqui fica o link para o programa da RTP "AGORA NÓS" no qual tenho muita honra em participar com alguma regularidade.  Orgulho-me pelo facto de a nossa televisão pública perceber que falar de plantas e da sua importância na vida das pessoas é serviço público, claro que é sem dúvida alguma.
Muitos dos grandes males físicos e emocionais que afetam as pessoas têm na sua origem o enorme  distanciamento com a fonte apaziguadora de muitas inquietações; a MÃE-NATUREZA, generosa, benévola e regeneradora, regressar a ela é voltar a casa e sentir o doce conforto materno.

http://media.rtp.pt/blogs/agoranos/artigos/receitas-com-urtigas_3626





sexta-feira, 8 de maio de 2015

URTIGAS SERÃO A RAINHA DA FESTA NO PRÓXIMO PROGRAMA DO "AGORA NÓS" PREPARA-SE PARA FICAR DE ÁGUA NA BOCA COM TODAS AS IGUARIAS QUE IREMOS PROVAR.

 E porque se aproxima o fim-de-semana mais urticante do ano, na próxima segunda-feira é dia de apresentar a Confraria das Urtigas aos meus amigos José Pedro Vasconcelos e Tânia Ribas de Oliveira no Agora Nós. Preparam-se para assistirem a um verdadeiro banquete urticante e delicioso.

Esta é a minha querida amiga Urtica dioica que irá ser a rainha da festa já na próxima segunda-feira.



A salvia andava por todo o lado exibindo a sua profusa floração, as abelhas doidas de contentes e eu também que logo lhes roubei umas POUCAS para a salada de amanhã. Pois bem sei que já estão com pena, quem vos mandou não se inscreverem???


 Hoje andei entre urtigas, a colhê-las para a ementa de amanhã no Convento da Arrábida, os meus dedos ainda estão entre adormecidos e enformigados, deve ser a mesma coisa e confirmo que a Urtiga dioica pica muito mais do que a pilulifera ou a urens mais comum no meu quintal.

Mas nem só urtigas havia na quinta dos sete nomes; o sabugueiro estava lindo e também colhi flores para fazer refresco.



segunda-feira, 27 de abril de 2015

'Poisonous Plants 1-2-1' Artemisia absinthium, wormwood

A planta da semana é SALVA da qual irei falar na Próxima quinta-feira na RTP1 no Agora nós.



História
A salva é uma das plantas medicinais mais apreciadas e tem um vasto leque de propriedades. Era já conhecida e muito utilizada na Europa da idade média, tanto para fins medicinais, religiosos, como culinários e ainda no fabrico de cerveja. Segundo uma lenda grega, as propriedades medicinais da salva foram descobertas pelo herói Cadmo a quem as folhas eram oferecidas todos os anos numa cerimónia religiosa. Os gregos e romanos apreciavam-na essencialmente como estimulante mental. O nome “salva” vem do latim saudere ou servire. Os chineses valorizavam-na tanto que nos primeiros anos de trocas comerciais com os ingleses e holandeses estavam dispostos a negociar dois quilos do seu melhor chá  por meio quilo de salva. Diz-se que Luís XIV bebia todas as manhãs uma chávena de chá de salva. Na Índia é ainda hoje considerada uma planta sagrada e é comum vê-la crescer à porta dos templos. Na América no norte é também muito utilizada pelos índios nas suas cerimónias religiosas onde é queimada para purificar ambientes.








Cerca de 2,5% de óleos voláteis (tujona, cineol, borneol, linalol, cânfora, eucaliptol, ácido rosmarínico, flavonóides, resinas, ácido fosfórico, saponinos, glicósidos e taninos que a tornam adstringente). A variedade salva-esclarea (Salvia sclarea) tem um perfume a almiscaro e cresce espontânea entre nós, mas é também cultivada industrialmente para extração do seu óleo essencial de propriedades marcadamente antifungicas, este óleo essencial tem mais interesse em aromaterapia do que o de S. officinalis devido ao baixo teor em tuionas tornando-o por isso menos tóxico, a concentração de linalilo e linalol tornam o óleo essencial de  S. sclarea mais interessante na industria da perfumaria nomeadamente como fixador de aromas

(Salvia sclarea)
 A salvia officinalis

Equilibra o sistema nervoso e é útil no tratamento de vários problemas da menopausa, reduzindo, por exemplo, a sudação e os afrontamentos ajudando o organismo a adaptar-se às alterações próprias desta fase. Uma ou duas folhas frescas mastigadas depois das refeições refrescam o hálito e estimulam a produção de sucos digestivos