domingo, 25 de janeiro de 2015

Monção com águas termais e plantas medicinais

Da minha viagem a Monção, à beira do rio Minho, observando a incrível adaptação das plantas rípiculas. Encontrei muito mentrasto, também conhecido por hortelã-brava ou Mentha suaveolens, talvez devido á suas folhas macias e cobertas de penugem esbranquiçada. O que mais me surpreendeu no entanto foi a Artemsisia vulgaris e também uma das minhas grandes favoritas: a tanchagem Plantago sp, que imediatamente elegi como planta da semana, cujo artigo aqui vos deixo.Tão adaptável e nada tola, pois vai aquecer as suas raizes nas águas termais, sobrevivendo no calorzinho liquido com cheiro a enxofre.Destas nascentes se diz terem poderes curativos para tratar doenças respiratórias. Eu por ali me sentei, pés de molho em água quente que brotava no meio dos seixos e ia deslizando até se encontrar com a frescura do rio.
Escutei o borbulhar da água que emergia das entranhas telúricas e me ia aquecendo a alma e os pés enquanto meditava sobre os rios que dividem países ou será que os unem em vez de os dividir?








Existem entre nós três variedades principais de tanchagens, sendo todas elas medicinais: tanchagem maior ou tanchagem terrestre (Plantago major), tanchagem média e tanchagem menor de folha mais estreita e pontiaguda do que as outras (Plantago lanceolata). É ainda conhecida por corrijó, erva-de-ovelha, calracho, tanchagem das boticas, psílio, e erva pulgueira devido a forma, cor e tamanho das sementes cuja casca se assemelha a pulgas.

Era já conhecida e muito utilizada na antiguidade. Alexandre, o Grande, designava-a Governante-dos-caminhos, devido à sua grande abundância nas beiras dos caminhos.

O médico e historiador grego Dioscórides atribuía-lhe várias propriedades. Os anglo-saxões utilizavam-na como panaceia para curar inúmeras doenças e era por eles considerada uma das nove plantas sagradas. Na Índia é cultivada em grande escala para recolha das sementes muito utilizadas no tratamento de problemas intestinais, incluindo desinteria.

É uma planta vivaz, da família das Plantagínáceas. Tem folhas espessas, estreitas ou arredondadas, com cinco nervuras bem salientes. É acaule, flores em espiga de cor branca ou malva, é inodora e de sabor ligeiramente amargo. É rasteira mas pode também chegar a atingir cerca de quarenta centímetros de altura.

Existe por toda a parte na Europa setentrional, Açores, Madeira, Norte de África e Ásia, sobretudo na Índia onde é cultivada. É propagada a partir de semente e requer muito Sol. Também cresce espontânea em lugares húmidos com muita vegetação na berma das estradas, terrenos baldios, hortas e jardins.



Muito rica em mucilagem (cerca de 30%). Ácidos gordos: ácido linoleico, oleico e palmítico. Taninos, glicócidos, alcalóides, ácido salicílico e potássio.


É antibiótico, anti-inflamatório, expectorante, fortificante dos vasos capilares, calmante, laxativo, diurético e adstringente. As folhas esmagadas podem ser aplicadas directamente sobre a pele para aliviar picadas de insectos e estancar hemorragias. Internamente pode ser utilizada em forma de chá para combater bronquite, catarro e outros problemas de pulmões e vias respiratórias tendo um forte efeito expectorante devido ao alto teor em mucilagem. O ácido silício ajuda a fortalecer os pulmões. 





O seu efeito adstringente é útil para tratar diarreia e cistite. O psílio é útil no tratamento de hemorróidas pois amolece as fezes e reduz a irritação das veias danificadas. Tem ainda uma acção simultaneamente laxativa e anti-diarreica, ajudando a equilibrar o funcionamento intestinal. O efeito calmante e protector das cascas e sementes beneficia todo o parelho gastro-intestinal podendo ser utilizado no tratamento de úlceras gástricas e duodenais e problemas digestivos de acidez. A mucilagem é útil no tratamento no síndroma do cólon irritável. Muito eficaz e suave no tratamento de problemas intestinais em crianças.

O líquido gelatinoso produzido quando o psílio é mergulhado em água tem a capacidade de absorver toxinas no intestino grosso.

A sílica e os taninos presentes na sua composição são muito úteis no tratamento de varizes aplicado em forma de compressas.


Compressas de folhas aplicada sobre as articulações alivia dores reumáticas e ajuda a desinflamar.

Muito útil para drenar furúnculos ou outras impurezas. Aplicar a folha directamente ou fazer um cataplasma mergulhando as sementes ou folhas numa infusão de calêndula.

Uma infusão de folhas pode ainda ser utilizada para lavar olhos inflamados ou em compressas ou tampões dentro dos ouvidos para aliviar a dor e combater a inflamação.

Pode ainda ser utilizada para tratamento de contusões e entorses.

Para aliviar a febre, aplicar folhas frescas sobre a testa.


sábado, 24 de janeiro de 2015

É um prazer passar um ano inteiro a ler e a conviver com plantas bonitas, úteis e boas - Life

 Bem sei que estou em falha com a minha planta da semana mas como a semana acaba amanhã, não perdem pela demora.Agora podem disfrutar desta rubrica que o MEC escreveu sobre as Minhas agendas e o meu blogue e de certa forma sobre mim, muy grata.Não estava mesmo à espera.

É um prazer passar um ano inteiro a ler e a conviver com plantas bonitas, úteis e boas - Life

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

As mil utilidades do milefólio. Esta é a planta da semana.




As mil utilidades do milefólio

Com o Inverno teoricamente já instalado, dizem que a chuva vem a caminho, é bom sabermos que plantas ter em casa para nos ajudar a combater os principais sintomas de constipações, gripes, febres, etc.

O Milefólio é uma planta muito útil e pouco divulgada entre nós.

O seu nome latim é Achillea milfolium, também conhecida por mil-em-rama, milfolhada, erva das cortadelas, erva dos militares, erva de S. João, milenrama em espanhol e yarrow em inglês.


 

História


O nome Achillea deve-se ao herói grego Aquiles que muito a utilizava para curar os ferimentos de guerra dos seus soldados.

Era também conhecida dos Celtas que a utilizavam nos seus rituais de colheitas.

Os antigos Chineses usavam os caules do milefólio nas consultas ao seu livro sagrado de oráculos “I Ching”.

Na Europa foi muito utilizada nas práticas de bruxaria e nas poções mágicas contra o mau-olhado, para atrair noivo, induzir a clarividência; acreditava-se que quem trouxesse consigo um amuleto de milefólio, viveria feliz com o seu parceiro durante sete anos e afastava todos os medos.

Características


É uma planta vivaz, aromática, que pode atingir um metro de altura, prefere solos arenosos e leves, cresce em relvados, bosques pouco densos, à beira de estradas e caminhos e também nos nossos jardins. Tem flores compostas brancas ou rosadas que florescem entre Fevereiro e Novembro. Os múltiplos recortes das suas folhas dão origem ao nome milefólio.





Composição


Óleos essenciais (cânfora, camazuleno, eugenol, mentol, quercetina, eucaliptol, linalol), taninos, cumarinas, ácido salicílico, triterpenos, poliacetilenos, alcalóides (tujona), flavonóides, resina, fósforo, potássio e matérias azotadas.

Propriedades


Aquiles estava certo em utilizá-la nas feridas dos soldados, pois veio a descobrir-se cientIficamente que esta planta continha substâncias como as lactonas sesquiterpenas que são amargas e tónicas e a aquilina que estimulam a coagulação arterial, enquanto o ácido salicílico tem propriedades anti-inflamatórias e anti-alérgicas e uma acção de alívio da dor. Os taninos e o eucaliptol são anti-sépticos. A componente tujona confere-lhe propriedades ligeiramente sedantes. É anti-espasmódico do aparelho digestivo e de outros músculos mais suaves, como o útero, ajudando a combater as dores menstruais, controlando hemorragias internas e equilibrando o fluxo menstrual. É diurético e anti-séptico urinário de acção suave. Faz baixar a febre e a tensão arterial, melhorando a circulação venosa e tonificando as varizes. Estimula a sudação. O ácido salicílico faz ainda com que seja utilizada no combate ao reumatismo. É um tónico amargo e auxiliar digestivo. Muito útil cultivá-la nos nossos quintais e tê-la sempre à mão como planta de primeiros socorros, para estancar o sangue do nariz ou de feridas. Nas escolas onde trabalho, faço questão de ter sempre um cantinho com milfólio e explicar às crianças como utilizá-la: colhem-se quatro ou cinco folhas, e uma flor ou não, lava-se e faz-se com elas uma pequena bola, que se pode aplicar directamente no nariz sem empurrar muito para dentro, ou sobre as feridas. Pode também, ferver-se a planta e fazer-se compressas com esta infusão. O chá feito com as folhas e as flores, é excelente para baixar a febre. Como chá de Inverno, para prevenir gripes e constipações, pode preparar-se uma mistura em proporções iguais de milfólio, flor de sabugueiro, e hortelã-pimenta; (tomar três chávenas por dia). O milfólio é um bom restaurador das membranas mucosas do nariz e dos pulmões. Tem no organismo uma acção lenta mas segura. O sabugueiro actua sobre a sinusite, desobstruindo os canais nasais e limpando as toxinas, enquanto a hortelã-pimenta age mais na zona da cabeça aliviando enxaquecas.


O milefólio aumenta a resistência das plantas vizinhas às doenças e é um bom companheiro para as plantas aromáticas, aumentando a sua produção de óleos essenciais e a sua vitalidade, melhora também a resistência aos insectos de plantas vizinhas, devido ao seu aroma acre e pungente. O chá de milfólio é bom para o gado bovino e caprino depois dos partos.

Cresce por todo o lado e resiste mesmo ao pisoteio.

É muito utilizado na agricultura biodinâmica como acelerador da compostagem.

No meu jardim cresce um pouco por toda a parte, salpicando-o de delicadas flores brancas durante quase todo o ano.

Considerada por muitos uma erva daninha invasora, o milefólio é na realidade uma planta de grande utilidade.







sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Rosa, fotografada a 9 de janeiro no meu jardim. Esta será a primeira das minhas plantas da semana. Uma planta por semana e uma quentinha tissana



As rosas foram desde a Antiguidade cultivadas pela sua beleza e fragrância, mas também pelo seu grande valor medicinal.
Espécies asiáticas, são ainda hoje muito utilizadas na Medicina tradicional Chinesa e outras variedades eram utilizadas pelos Gregos, Romanos e Persas.

O poeta grego Anacreon, refere nos seus poemas no ano 77 a.C. o valor terapêutico das rosas.
Na Roma antiga as festas em honra de Dionísio (Baco) eram chamadas Rosálias.

Ainda em Roma,
acreditava-se que ao colocar rosas nos túmulos dos mortos, isso apaziguaria os seus espíritos e os ricos mantinham jardins de rosas para assim terem sempre rosas para os seus mortos.
Ainda hoje as rosas são um símbolo de amor mas também de luto, sendo a flor mais utilizada nos cemitérios Europeus.

Cleópatra incluía as rosas como ingrediente básico nos seus tratamentos de beleza.
A água de rosas foi inventada no século I a.C. pelo médico Persa Ibn Sina e prescrita para inflamações oculares e também para refrescar o espírito e fortalecer o coração, aliás ainda hoje no Médio Oriente se fabricam muitos doces com pétalas e água-de-rosas.

O óleo de rosas conhecido por attar ou otto era utilizado para tratar vários problemas de pele e as sementes usadas tradicionalmente como diurético e para aliviar infecções urinárias.

Nos anos 1800 na Grã-Bretanha as pétalas de rosas eram usadas como adstringente em preparados farmacêuticos e também para melhorar o sabor de alguns medicamentos.

Durante a segunda guerra mundial quando houve escassez de citrinos, recorreu-se aos frutos da roseira-brava como fonte de Vitamina C para prevenir os grandes surtos de escorbuto.

Na fitoterapia actual os frutos e a flor da da rosa-canina são utilizados em vários preparados para tratar gripes e infecções das vias respiratórias, problemas gastrointestinais, fortalece o sistema imunitário.
O botânico e médico Romano Plínio-o-velho enumerou 30 patologias que poderiam ser tratadas com remédios feitos a partir de rosas.

Mais tarde na Idade Média as rosas e os botões de rosa continuam a sua popularidade e as pétalas de rosas eram utilizadas para tratar diarreias, tosse, tensão nervosa, depressão, dores nas articulações, entre outras coisas, muito associado também nessa época a superstições e bruxaria, usava-se nos amuletos para atrair amor.

Estudos recentes revelaram que extracto de rosa-canina em pó reduzia as dores e aumentava o bem-estar em pacientes que sofrem de osteo-arterite.
O óleo de rosas é ainda muito apreciado em vários produtos cosméticos como excelente anti-oxidante e anti-rugas.





terça-feira, 6 de janeiro de 2015

"Agora Nós" Algumas plantas para depois das festas

Agora Nós

Estou no minuto 29 a falar e a mostrar algumas plantas para tratar o fígado. Se ficou com maus fígados depois das celebrações natalícias venha descobrir que plantas o poderão ajudar a recuperar dos excessos, a regenerar o seu fígado e o sistema digestivo e imunitário.

Durante a época natalícia, os excessos de gorduras fritas,alcool, açúcar e sal refinados,  muitas horas sentado à mesa sem se mexer vão ter consequências não apenas no nosso sistema digestivo, que é quem mais sofre, especialmente o fígado, mas também no sistema linfático que não consegue drenar tanta toxina e começa a fazer retenção de líquidos causando inchaço nas pernas e nos pés.

Como está mais frio e não nos alimentamos tão bem nesta quadra o sistema imunitário tende a ficar um pouco debilitado e com maior dificuldade em combater virus e por isso é  comum nesta época muita gente ficar engripado, com tosse, etc. Para as gripes, tosse, etc tomar infusões de tomilho ou salva, que, para além de serem plantas aromáticas de sabor agradável e muito usadas na culinária, podem e devem também ser tomadas como infusões digestivas e preventivas de gripes e constipações.

A equinácea em infusão, gotas ou comprimidos é uma das melhores plantas para fortalecer o sistema imunitário.

As, sementes de alfafa são um excelente purificante do sangue e estimulantes do sistema imunitário, ajudam a repor niveis de açúcar no sangue sendo muito util para diabéticos que reagem mal à insulina.
Ajuda a combater inflamações nas paredes internas do estômago protegendo contra ulceras e facilitanto a digestão.
São muito ricas em sais minerais e vitaminas. Devem tomar-se em germinados ou em cápsulas.
A raiz de dente-de-leão  ou de chicória, em decoção ( explicarei como se faz uma decoção e qual a diferença entre decoção e infusão), é outra excelente planta para tratar problemas do figado, estimulando a produção de bilis, as folhas de dente-de.leão em infusão são muito diuréticas e ricas em potássio, recomendadas para tratar retenção de liquidos.Outras excelentes plantas contra a retenção de liquidos são o aipo e as urtigas, portanto recomendadas como desintoxicante do organismo.


Curcuma
boldo (Plecthrantus barbatus)



Urtigas
Salva
Dente-de-leão


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Outro grande purificante é o LIMÃO, tomado em jejum com água morna
 
preferência com uma palhinha para não estragar o esmalte dos dentes.O limão restabelece o equilibrio pós natalício, também se utiliza em curas de emagrecimento pois ajuda a metabolizar gorduras acumuladas.
O funcho tomado em infusão das folhas ou decoção das sementes após as refeições, são um bom digestive ajudando a combater efeitos de flatulência.
As Malvas em infusão para inflamações do estômago e intestinos, revestem   estes orgãos de uma camada protetora, sendo muito útil até mesmo em problemas crónicos como sindrome do colon irritável ou doença de Chron, patologias que tendem a agravar-se sempre nesta época.

Relaxamentos no bolso - iBooks Top eBooks | App Annie

Relaxamentos no bolso - iBooks Top eBooks | App Annie

domingo, 28 de dezembro de 2014

We Are All Seeds - A New Year Message from Dr. Vandana Shiva for 2015

We Are All Seeds - A New Year Message from Dr. Vandana Shiva for 2015


A mais bonita mensagem de ano Novo, ano internacional do Solo. Solo que nos nutre, porque todos nós somos sementes e solo. Que as férteis sementes da diversidade germinem em abudância, criando hortas e jardins em todos os cantos do planeta

We Are All Seeds - A New Year Message from Dr. Vandana Shiva for 2015



A mais bonita mensagem de ano Novo, ano internacional do Solo. Solo que nos nutre, porque todos nós somos sementes e solo. Que as férteis sementes da diversidade germinem em abudância, criando hortas e jardins em todos os cantos do planeta

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Que plantas nos poderão a judar a economizar na farmácia, foi no dia 23 na RTP1 no programa"Agora nós"

Que plantas nos poderão ajudar a poupar dinheiro na farmácia?
Para onde vai grande parte da reforma dos nossos idosos? para a farmácia.
Há idosos que tomamam cerca de 20 comprimidos por dia e vivem num constante de sobressalto de se puderem enganar, o que acaba por acontecer muitas vezes; troca de medicamentos e os consequentes resultados que algumas vezes chegam mesmo a ser fatais.Isto não é qualidade de vida.É óbvio que nalgumas doenças mais graves são os próprios medicamentos que dão  quallidade de vida, mas em muitas outras situações criam uma depêndencia exagerada, passando a vida do idoso a girar á volta dos horários das tomas de medicamentos.E será que isso não tem solução???
Venha descobrir que plantas poderão ajudar a prevenir e evitar esta dependência de tanto fármaco.
Escolho em primeiro lugar o alho pelas suas múltiplas propriedades:É um excelente anticuagulante do sangue podendo substituir a meia aspirina diária para fluidificar o sangue e que tanta gente toma mas que obriga depois a tomar um outro comprimido para o estômago pois como é sabido o àcido acetisalicilico da aspirina irrita as mucosas do estômago.
O alho ajuda também a baixar os níveis de colesterol, é hipotensor, antiviral, antibateriano e antibiótico. Um excelente remédio para prevenir gripes e constipações. também é um forte desparasitante intestinal.Portanto comer um dente de alho cru por dia pode prevenir problemas de hipertensão, colesterol, arteriosclorose, bronquite, etc. Plínio-o Velho dizia que o alho era uma panaceia capz de curar cerca de 60 patologias diferentes. Pode-se toamar-se também em cápsulas, em pó, macerado em mel, ou em extrato alcoólico.
 Pode misturar alho com crataegus também conhecido por pilriteiro, e folha de oliveira

O Pilriteiro em infusão ou tintura ( Extrato alcoólico) é das melhores plantas para tratar problemas cardiacos, controlando a tensão arterial e fortalecendo o músculo cardiaco e melhorando a circulação.
A folha de oliveira é um remédio antigo e muito utilizada para baixar a tensão arterial e melhorar a circulação e pode também ser útil aos diabéticos pois ajuda a baixar os níveis de açucar no sangue
A flor de sabugueiro e o tomilho em xarope ou infusão também é um bom remedio para febres, gripes, tosse, constipaçõess.etc
O gengibre para melhorar a circulação, aliviar dores reumáticas, as frieiras, problemas de mãos e pés frios
 
 
 
A canela é um bom auxiliar da digestão, estimula a circulação, A canela aquece o organismo, estimula o sitema imunitário, também é aconselhada a diabéticos, baixa níveis de colesterol.
Compressas de couve aplicadas em articulações inflamadas ajudam a combater dores reumáticas e arteríticas por serem muito anti-inflamatórias.
 
.
Infusão ou tintura de urtigas ou de aipo devido à sua grande ação diurética, são muito úteis para tratar problemas de Gota, ácido úrico retenção de liquidos, etc

Curcuma ou Açafrão-das -Índias em pó tomado internamente ou usado na culinária é um dos melhores anti-oxidantes e anti-inflamatórios, anticancerigeno, estimula e proteje o fígado.e alivia dores reumáticas.
Alcachofra e cardo mariano;grandes protetores e regeneradores do fígado.
Pevides de abóbora  para prevenir problemas da próstata
Consumir mais sementes que são muito ricas em sais minerais incluindo cálcio, (especialmente as de chia), e vitaminas, menos carnes vermelhas, mais legumes e frutas frescos e biológicos, menos glúten e menos latícinios que causam grandes inflamações sobretudo a nível do intestino.
As malvas protegem as paredes interiores do estomago e intestino, sendo recomendados em úlceras de estômago, sindrome do cólon irritável e doença de Chron.Para além de serm ainda úteis em todo o tipo de irritações da pele, dermatites, eczema, psoríase, etc, conjuntivites...

A cidreirea para os Herpes labiais.


Todas estas indicações e mais algumas estão disponíveis no meu livro " As plantas e a saúde" Guia prático de remédios caseiros.



Da periferia ao Palácio da Pena, teleférico sobrevoa Sintra em 2017 - Portugal - DN







SERÁ TALVEZ O FIM DE UMA PAISAGEM TAL COMO A CONHECEMOS AGORA.
 EM NOME DE QUÊ? DO TRÂNSITO???EXISTEM COM CERTEZA MELHORES SOLUÇÕES. CHEIRA-ME A INTERESSES ECONÓMICOS PARA VARIAR.

Da periferia ao Palácio da Pena, teleférico sobrevoa Sintra em 2017 - Portugal - DN