quarta-feira, 23 de agosto de 2017

À Descoberta das árvores e arbustos medicinais da vila Sasseti em Sintra


Sabia que existem árvores e arbustos medicinais? Muitas destas espécies, indicadas para as mais diversas maleitas, passam-nos despercebidas numa caminhada pela natureza.

http://greentrekker.pt/agenda/segredos-das-plantas-da-vila-sassetti/




Acer Sp Acerácea
Existem mais de 100 variedades de ácer, muitas delas cultivadas apenas como árvores ornamentais, outras, com as mais diversas utilizações.
 Os Índios da América do Norte foram os primeiros utilizadores do xarope de ácer como adoçante e para tratar vários problemas desde tosse, diarreia, dores, para estimular a produção de leite materno, como expectorante, anti hemorrágico e no tratamento de abcessos, etc.
As folhas, cascas e raízes, podem utilizar-se em infusões ou decocções, tanto em uso externo como interno.
É ainda utilizada para tingir, fabricar brinquedos e flechas.





Em tempos de escassez as bolotas de carvalhos eram muito apreciadas como alimento, sendo as de sabor mais doce as do Quercus rotundifólia que é uma subespécie do Q.ilex, para além de ser ingeridas cruas, cozidas, torradas em forma de café, eram ainda moídas e misturadas com outros cereais no fabrico do pão.


 



O eucalipto que tantos danos tem causado no nosso país tem no entanto algumas propriedades medicinais muito interessantes.
 É desinfectante, útil no combate a vários tipos de bactérias, especialmente o estafilococos, é ainda eficaz no tratamento de otites, gripe, bronquite, expectorante, inflamações oro faríngeas, diabetes, estimulando a produção de insulina, cistites e ainda em uso externo em forma de óleo essencial diluído e ainda em compressas para aliviar  dores musculares e reumáticas.
 


 

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Barragens e desmatamentos no Brasil

https://brasil.elpais.com/brasil/2017/06/14/economia/1497430161_506854.html?id_externo_rsoc=FB_CC

O IRRESISTÍVEL CHARME DO LÚPULO. ALGUNS SEGREDOS SOBRE AS PLANTAS DO MEU JARDIM E DA MINHA ALDEIA.

Oficialmente o dia mundial da fotografia é no dia dos meus anos, dia 19 de agosto. No entanto para mim dia mundial da fotografia são todos os dias ou fins de dia, especialmente de verão e outono em que a luz atravessa o meu jardim e a minha aldeia e me convida a deslumbrar-me com detalhes sobre a vida secreta de muitas plantas que nessas tardes mágicas tomam nova vida e me obrigam a fazer pausas no trabalho, proscrastinar, pegar na câmara e sair para a rua, a pé ou de bicicleta.




O lúpulo que é uma das plantas que tenho no jardim e que todos os verões se enrola por todo o lado serpenteando as suas gavinhas na direção do céu, brincando às escondidas com a luz. Cresce vigoroso e fotogénico, impossível resistir ao seu charme.





O lúpulo usa-se sobretudo para aromatizar a cerveja. Elemento da cultura do Norte da Europa há mais de 7000 anos, a cerveja, a princípio, era produzida a partir de outras plantas que não o Humulus lupulus. De facto, os ingleses ofereceram tanta resistência à introdução do lúpulo, que chegaram a proibir o seu uso até ao século XVI, com receio de que viesse alterar demasiado o sabor da cerveja tradicional. Entretanto, tanto os franceses como os alemães há muito que recorriam ao lúpulo, tendo sido encontrados registos da sua utilização com a data de 1067.
Os índios da América do Norte serviam-se desta planta para combater dores e induzir o sono. E, no século XVII, Nicholas Culpeper (1616-1654) atribuía-lhe poderes desintoxicantes do sangue e a capacidade de tratar problemas de pele e doenças venéreas. Na farmacopeia europeia, usava-se – e ainda se usa – o lúpulo como expetorante, diurético, antiparasitário, sedativo e analgésico, útil para aliviar dores reumáticas, articulares e menstruais. Era igualmente recomendado em casos de flatulência, de espasmos intestinais e de diarreia.



quinta-feira, 17 de agosto de 2017

PLANTAS MEDICINAIS, A SAÚDE NAS NOSSAS MÃOS. WORKSHOPS E PASSEIOS. São as mãos que estabelecem laços e pontes entre os segredos da terra e o coração das pessoas.

Aqui está mais uma bela e interessante planta que figura na agenda de 2018


Maracujá  Passiflora spp
Para além dos deliciosos e nutritivos frutos das várias espécies de maracujá, consomem-se também as folhas e as flores em saladas, infusões ou outros preparados como alcoolaturas, em forma de gotas ou em pó em forma de cápsulas vendidas com o nome de passiflora e muito eficazes com ansiolítico e calmante do sistema nervoso.





 Datas de próximos eventos herbáticos onde poderão também adquirir diretamente da autora a agenda.

26 de agosto   feira do Príncipe Real em Lisboa 

3 de setembro   passeio greentrekker em Sintra na vila Sasseti  http://www.greentrekker.pt/agenda/segredos-das-plantas-da-vila-sassetti/

8, 9 e 10 Feira alternativa de Lisboa, o meu workshop de plantas medicinais é domingo dia 10 às 18h  http://feiraalternativa.pt/feira-alternativa/feira-alternativa-programa-lisboa/


22, 23 e 24 de Setembro Jardim botânico do Faial

27  de Setembro. Mafra dia das bandeira verdes. Entrega do galardão do programa Eo-escolas

29 de setembro Greenfest

30 de setembro Feira do Príncipe Real.