domingo, 23 de setembro de 2018

Benefícios dos frutos e sementes de outono na RTP 1, Agora Nós

Coisas de outono! Falamos de marmelos, frutos da roseira-brava, girassóis, abóboras, lixo, reciclagem, pegadas ecológicas e outras coisas ambientais.


https://www.rtp.pt/play/p4223/e365879/agora-nos




O equinócio de outono marca a mudança do verão para o outono, nesse dia, dia 23 de Setembro (este ano) o dia é igual à noite e a partir daí começam os dias a ficar mais curtos e as noites mais longas.
O outono como se sabe é o grande tempo das colheitas, da abundância e generosidade da Natureza é importante saber colher e saber conservar. Ao preferirmos produtos locais e de época estamos a melhorar a nossa pegada ecológica.
Colhem-se agora sementes de funcho, de girassol , de abóbora, de roseira-brava, de aipo e de muitas outras coisas.
As abóboras são boas no combate à gota e ao reumatismo e um excelente digestivo. Actuam sobre o pâncreas estimulando a secreção de insulina.
Sopa de abóbora ajuda a combater insónias. Rica em Vitamina A. As sementes são muito recomendadas para inflamações da próstata devido ao alto teor em Zinco

Outono é tempo de preparação para o Inverno.

No meu quintal colho maçãs reinetas e faço puré que congelo para o resto do ano.
Colho também marmelos, frutos de roseira-brava que são uma grande fonte de vitamina C que nos faz falta no Inverno assim como o Zinco existente nas sementes de abóbora ajudando a combater gripes e constipações.

As sementes de girassol muito ricas em vitamina E e vitaminas do grupo B, são muito nutritivas, protegem o aparelho cardiovascular e o sistema nervoso, fortalecem os olhos e a textura das unhas.
Sementes de aipo muito diuréticas e alcalinizantes.
Sementes de funcho expetorantes e úteis no combate às cólicas intestinais, combinam bem com o puré de maçã e de marmelo.
 
Uvas, muito ricas em sais minerais e vitaminais A, B e C. Deve consumir-se a casca e mastigar-se a grainha, as uvas fortalecem os vasos sanguíneos, são tónicas, cardioprotetoras e purificantes do sangue.



domingo, 2 de setembro de 2018

Um problema que se agiganta no concelho de Sintra. Lixo.Vejam o link sobre um excelente documentário sobre LIXO no Brasil

E se nos perguntássemos "Para onde vai este lixo que produzo todos os dias?Que caminho seguem estes móveis e sofás e o espelho que ali abandono não se irão quebrar? encandear algum automobilista, causar um incêndio...e os plásticos soltos que vão esvoaçar, pendurar-se em árvores, deslizar pelos pinhais até encontrar o caminho do mar, o pobre mar, pobre terra, são latas de óleo queimado, tubagens de regas, estufas desfeitas bonecas sem cabeça e pessoas sem tino...quem serão? alguns até conheço. Que fazer? sinto o ridículo da denuncia fictícia  nas redes sociais. Mas o lixo incomoda-me, sempre, desde sempre, mas esta passo de gigante, este amontoar de irresponsabilidades, má vontade e enificácia em encontrar soluções por parte de quem, engravatado e empoleirado na doentia frescura do ar condicionado dos seus escritórios não faz ideia da dimensão do problema que tem em mãos, não fazem ideia, é melhor acreditar que não fazem ideia. Pois se souber que sabem, que tem noção do tamanho do problema e continuam inativos. Porra para eles!!!Porra para eles, políticos de poleiro.
Chamem os munícipes, convoquem uma reunião especial, anunciem nos jornais...mas caramba não continuem a arrastar este peso sem fazer nada.

 https://www.youtube.com/watch?v=jDHuDOj63nM





terça-feira, 21 de agosto de 2018

Levantando o véu da agenda de 2019 "Plantas Medicinais Tropicais" . Na RTP 1 com José Pedro Vasconcelos




O que é afinal uma planta exótica ou uma planta invasora?
Muitas das plantas que hoje conhecemos e utilizamos como plantas ornamentais nas nossas casa e jardins, são plantas que foram trazidas de outros países nessa que foi a grande viagem das plantas na primeira globalização a partir do século XV.
Esse é o tema da minha agenda de 2019 , que cumpre 10 anos de vida e que vai talvez fechar o ciclo português e internacionalizar-se a partir da 11ª edição.


Escolhi algumas plantas conhecidas em Portugal mas também no Brasil e em África e que têm nos seus países de origem muitas vezes usos qie aqui desconhecemos como é o caso das Begónias que se usam na culinária as suas folhas e flores e ainda em infusãa como anti-inflamatório.
Depois temos a erva-príncipe tão comum entre nós mas que no Brasil se chama capim limão ou capim santo, na Guiné é conhecida por Belgate e em Angola por Chá de Caxinde, em Cabo Verde, sabes?. Bom digestivo mas no Brasil é tb usado nos rituais do cadomblé.
As folhas da Anoneira ou da Goiabeira são muito usadas em São Tomé para tratar a diarreia e também para o mesmo fim, o seu fruto com sal.
A Lantana muito invasora em Portugal, Açores e Madeira mas muito útil para atrair polinizadores, comem-se as flores e faz-se chá com as folhas, no Brasil onde tem o nome de Cambará fazem um xarope com flores e folhas para tratar rouquidão e gripe.
O Açai que está tão na moda e que é riquíssimo em vitaminas e antioxidantes e se consome em forma de polpa, é o fruto de uma palmeira.

A graviola chama-se sape-sape em São Tomé é uma prima das anonas.
As boas-noites também conhecidas por Mirabilis são muito invasoras mas lindas, perfumadas e sempre em flor, só desaparecem no pico do inverno. Usam-se as flores, folhas e raízes para tratar problemas de pele e também em uso interno para tratar vermes intestinais e como antimicrobianas.

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

ÁRVORES MEDICINAIS TROPICAIS E MUITO DELICIOSAS. AGENDA DE 2019 DE FERNANDA BOTELHO

 Tanta árvore de interesse medicinal e comestível. Não perdem pela espera da minha agemda para 2019 "Plantas medicinais tropicais"
A jaca foi a grande descoberta que fiz no Brasil.


Jaca Artocarpus heterophyllus Moraceae
Também conhecida por jaqueira ou jaca-da-bahia
Como descrever o sabor deste fruto? Um misto entre pinhão com notas de banana e anona. Talvez o mais tropical e exótico de todos os frutos que provei e adorei. Originário da Índia tropical ou da Índia e Malásia. Não é conhecida a data em que os portugueses a terão introduzido no Brasil mas sabe-se que em 1682 já era referida a sua existência na Bahia.
Garcia da Orta já a refere no seu “Colóquio dos Simples e Drogas da Índia” como sendo uma planta medicinal. Em Angola é frequente na mata cafeeira.
De alto valor nutritivo, é muito apreciado pela população local em São Tomé que a vende na beira da estrada, já cortada e preparada pois o seu manuseamento não é fácil devido ao latex branco, adstringente e abundante que escorre do caule e do pedúnculo e ao enorme tamanho dos frutos que chegam a pesar mais de 10 quilos. As sementes, de alto valor calórico e proteico, têm um sabor semelhante a castanhas ou a favas, depois de cozinhadas.





http://conexaoplaneta.com.br/blog/sete-arvores-pancs/

segunda-feira, 18 de junho de 2018

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Passeios botânicos no Reino das Plantas. Herbfest. Kew Gardens. Oxford Botanic Gardens

De regresso do Reino Unido, de mais uma fantástica e produtiva viagem ao mundo encantado das plantas.



Primeiro foi o Herbfest em Devon. Sempre um excelente momento de aprendizagem e convívio com esta grande família de amantes de plantas.



Kew gardens deslumbrante como sempre, foram precisos dois dias de visita, é cada vez mais o lugar onde prefiro estar em Londres, longe das multidões a atropelarem-se por todo o lado.







 https://www.kew.org/


The Physic gardens, outro local que adoro visitar, decidiram fechar ao sábado.Não fui.
Mas passeei por Hyde Park, visitei um pequeno jardim que não conhecia em Kensington gardens em homenagem à Princesa Diana.Local bonito e tranquilo de muitas abelhas, joaninhas e sons de água a correr ou melhor a andar...devagarinho na companhia de amigas de longa data.




Outra infaltável visita na minha habitual tourné britânica é o Oxford Botanic Gardens.

https://www.bgci.org/garden.php?id=624




quarta-feira, 16 de maio de 2018

Passeio de reconhecimento de plantas medicinais nos jardins da Gulbenkian. Lisboa, dia 23 de maio.

 https://gulbenkian.pt/descobrir/atividade/farmacia-no-jardim-percursos-plantas-medicamentos-2/

                                              "Uma farmácia no jardim" 

Venha conhecer o grande e perfumado Pilriteiro, os alecrins, tomilhos, trevos, madressilvas, dente-de-leão, teixos,  vitex e violetas, rosas e romãs, pinheiros e bétulas e tantas outras susrpresas que se nos irão revelar com a sua multiplicidade de utilizações.





https://gulbenkian.pt/descobrir/atividade/farmacia-no-jardim-percursos-plantas-medicamentos-2/

domingo, 13 de maio de 2018

Para que nasçam papoilas nas ondas











Assim numa espécie de compreensão e defesa de tudo o que está em constante mudança, aqui deixo a "mesma foto de ontem" só que tirada hoje em horas diferentes, marés diferentes e papoilas que já não estão. Ontem declaravam desconhecer o seu futuro.O seu futuro era desfolhar-se e deslizar pela falésia ou talvez elevar-se nos ares e tornar-se gaivota ou nuvem, amadurecer e lançar sementes ao mar, quem sabe algum dia nasçam papoilas nas ondas.