quinta-feira, 12 de abril de 2018

Passeios entre bosques e pradarias. Estão repletos de Leguminosas os campos da minha aldeia e arredores. Passeio de reconhecimento de plantas em Sintra, na Peninha

http://greentrekker.pt/agenda/ervas-e-flores-de-primavera-com-fernanda-botelho/







A chuva vai dar tréguas os campos estão a transbordar de meliloto



Mileloto (Millelotus officinalis) Fabácea ou Leguminosa

Tal como todas as Leguminosas o mileloto é um excelente fixador de azoto no solo e muito atraente para as abelhas. O seu nome deriva do grego mêli (mel).
É uma planta espontânea, muito comum da nossa flora, gosta de solos calcários e arenosos.
É anti-espasmódica, anticoagulante, sedativa, anti-inflamatória, sobretudo para tratar problemas da vista.
Em uso interno e externo, ajuda a tratar varizes e hemorróidas e reduz o risco de flebites e tromboses.
Precauções: Não ingerir meliloto se estiver a tomar anticoagulantes.
Se colhido em estado selvagem deve ser seco ou utilizado imediatamente pois a planta estragada é tóxica.

Luzerna ou alfafa


Alfafa (Medicavo sativa) Família das Leguminosas ou Fabáceas
História
A origem do seu nome vem do Árabe al-fac-facah.
A alfafa foi provavelmente cultivada pela primeira vez na Ásia central, de onde terá alastrado para a China, há mais de 2000 anos atrás e onde é conhecida por mu-su. Chegou à Grécia no séc.V a.C, levada por Dário rei da Pérsia quando tentou conquistar Atenas. Já era mencionada por Plínio-o-Velho como planta de grande interesse medicinal. Da Grécia terá viajado para o resto da Europa e África.
Começou a cultivar-se mais intensivamente na Europa no séc.XVII, muito apreciada pelos agricultores da época. Cerca de 1850 foi levada pelos colonos para os Estados Unidos onde é ainda hoje uma das plantas mais utilizadas nas grandes pradarias, devido ao seu alto teor em proteínas, providencia um alimento muito rico para os animais, beneficiando ao mesmo tempo os solos.
Como planta medicinal é também utilizada há mais de 1500 anos na medicina tradicional Chinesa para combater problemas digestivos e urinários. Na medicina Ayurvédica as flores são utilizadas como digestivo e as sementes para tratar arterite e retenção de líquidos. Os Índios da América do norte utilizam as suas folhas em compressas para aliviar dores de ouvidos.





segunda-feira, 2 de abril de 2018

Plantas medicinais. Passeios botânicos. Celebração dos ciclos da Natureza. Sintra, Tomar e Mafra

http://greentrekker.pt/agenda/ervas-e-flores-de-primavera-com-fernanda-botelho/


Partilhar e aprender histórias botânicas e plantas medicinais em Tomar e em família, escrever, inventar, fazer e provar
O 25 de abril botânico entre cravos e papoilas, trevos e sabugueiros, urtigas e oliveiras.

Um festim de primavera em tons lilazes acompanhados de muito chilrear e uns tímidos raios de sol




É o tempo dos lírios no meu quintal.
É o tempo das glícinias desabrocharem em força e em notas perfumadas.
O vitex que também trará flores roxas e muitas abelhas mas que por ora lança folhinhas tímidas, opostas em hastes que pareciam secas e estéreis. Milagre.
Milagre também o da aveleira cujas folhas peludinhas já trazem algo do que seria uma avelã (sim porque em Sintra não há frio suficiente para chegar a ser fruto)
Os goivos rosa-choque.
A pervincas a atapetar o chão.



Os gerânios doidos de tanta flor e as abelhas felizes
As ervilhacas também roxas tombando elegantes na beira dos vasos.
As borragens salpicadas de gotas de chuva exibindo seus pelos em contraluz.
As pétalas delicadas das flores da ameixeira esvoaçando na brisa lembrando flocos de neve.
A romanzeira de folhagem cor de cobre cintilando na luz da tarde lembrando que as cores de outono também cabem na primavera.
O pequeno arbustinho de manuka também se entusiasmou com tanta cor e decidiu começar a florir...cor-de-rosa também.
A salvia officinalis encheu-se de lindas flores...roxas, pois claro.



Mas a rainha do jardim é a Salvia africana lembrando também que os castanhos de outono também cabem na primavera.. e oh, que doces o nectar das suas flores... e que fotogénicas que são.

Obrigada jardim por me distraíres das minhas  "obrigações" e me deslumbrares a cada dia que passa.

Somos todos responsáveis ao compactuarmos com este tipo de agricultura industrializada e envenenda.Temos escolhas.

https://www.publico.pt/2018/03/24/ciencia/noticia/os-passaros-estao-a-desaparecer-dos-campos-da-europa-1807942

terça-feira, 27 de março de 2018

Conversas sobre árvores, sobreiro assobiador hoje na RTP 1

https://www.rtp.pt/play/p4223/e338211/agora-nos



Os sobreiros são super importantes para a nossa economia que exporta mais de metade (cerca de 55%) da cortiça mundial.



Os sobreiros cobrem cerca de 28% do território de Portugal Continental, a mesma percentagem que os eucaliptos com a grande diferença que os sobreiros são árvores nativas que fazem parte da nossa floresta primitiva e que são resistentes ao fogo.

Instalação de David Nash em Kew Gardens com cortiça portuguesa

Sobreiro no Alto Alentejo
Sobreiros perto do Alqueva
Os montados de sobreiros e azinheiras são as matas mais ricas em biodiversidade quer animal, quer vegetal: ervas aromáticas como rosmaninhos, tomilhos, nepeta, cistus, como a sargacinha, forragem para o gado, cogumelos, liquens, musgos, fetos, pássaros incluindo a águia real ou mamíferos como o lince-ibérico
Adicionar legendaSobreiro nos jardins de Monserrate-Sintra

Que seja simbólico a eleição desta árvore numa data em que os piores incêndios da nossa história estão ainda tão presentes.

sábado, 24 de março de 2018

Flores no prato. Cooking with flowers





São frésias e jasmins, capuchinhas e goivos

madressilvas e borragem
pervincas e alfazemas
trevos e alecrins.
Tudo isto no meu cesto para o workksop das 15h da quinta pedagógica da Caria.

De manhã , pois daqui a nada, storytelling seminar em Sintra.
Amanhã das 10 às 13,30 passeio Greentrekker em Sintra no meu cantinho já nada secreto.
Apareçam.
http://greentrekker.pt/agenda/cantinho-secreto-de-plantas-com-fernanda-botelho-2/

domingo, 18 de março de 2018

Vamos falar de alergias na RTP1 amanhã de manhã.


Com a Primavera chega também a tortura para os que sofrem de alergias aos pólens. Os mais comuns são os da oliveira, parietária, plátanos, gramíneas, bétula e pinheiro.

Bétulas 

Pinheiro 


flor de sabugueiro

Bétula 
Podem desencadear ataques de asma, irritação nas mucosas, tosse, espirros, conjuntivites, etc.
Apesar dos vapores de eucalipto serem excelentes para desobstruir as vias respiratórias não são recomendados a asmáticos.
Podemos também ser alérgicos a alimentos como o morango, as amêndoas ou os quivis, a ácaros, detergentes, perfumes ou poluição

Uma das melhores plantas para o alívio das irritações da vista é a camomila, as rosas e as malvas e as flores de sabugueiro.
Para a irritação das mucosas nasais e da garganta e para as rinites alérgicas funciona bem a flor de sabugueiro,  ou a camomila em infusão.
Com propriedades anti-histamínica temos a urtiga e a tanchagem.

Urtiga 
Para a tosse alérgica, o tomilho. Em infusão ou óleo essencial.
Para as irritações da pele mais uma vez as malvas, a camomila e a tília são eficazes.
Para fortalecer o sistema imunitário Equinácea. Em gotas, comprimidos ou infusões.

Equinácea 
Andar no jardim pode ser uma vacina mas também pode ser uma tortura para quem for muito alérgico.
Deixe-se deslumbrar pelo seu jardim e disfrute do primeiro morango cultivado por si. Ensine os seus filhos sobre os ciclos da natureza, as épocas de cada fruto. Divirta-se cuidando em família dos espaços verdes que nos rodeiam.