segunda-feira, 2 de abril de 2018

Um festim de primavera em tons lilazes acompanhados de muito chilrear e uns tímidos raios de sol




É o tempo dos lírios no meu quintal.
É o tempo das glícinias desabrocharem em força e em notas perfumadas.
O vitex que também trará flores roxas e muitas abelhas mas que por ora lança folhinhas tímidas, opostas em hastes que pareciam secas e estéreis. Milagre.
Milagre também o da aveleira cujas folhas peludinhas já trazem algo do que seria uma avelã (sim porque em Sintra não há frio suficiente para chegar a ser fruto)
Os goivos rosa-choque.
A pervincas a atapetar o chão.



Os gerânios doidos de tanta flor e as abelhas felizes
As ervilhacas também roxas tombando elegantes na beira dos vasos.
As borragens salpicadas de gotas de chuva exibindo seus pelos em contraluz.
As pétalas delicadas das flores da ameixeira esvoaçando na brisa lembrando flocos de neve.
A romanzeira de folhagem cor de cobre cintilando na luz da tarde lembrando que as cores de outono também cabem na primavera.
O pequeno arbustinho de manuka também se entusiasmou com tanta cor e decidiu começar a florir...cor-de-rosa também.
A salvia officinalis encheu-se de lindas flores...roxas, pois claro.



Mas a rainha do jardim é a Salvia africana lembrando também que os castanhos de outono também cabem na primavera.. e oh, que doces o nectar das suas flores... e que fotogénicas que são.

Obrigada jardim por me distraíres das minhas  "obrigações" e me deslumbrares a cada dia que passa.